O que é o PlanaFlor?

Aerial photo taken a drone of a group of hyacinth macaw (An
Vista aerea de plantação de soja. Mato Grosso. Brasil
Harvesting of soy bean field combine
Soy and corn
Riparian forest by the Uruguay river, natural border between Bra
Beef cattle breeding field in southern Brazil and the landscape
Cattle Grazing in the Wetlands of the Pantanal
Área de preservação ambiental de Mata Atlântica, reserva de
Foz Do Iguazu - June 23, 2017: Orange Butterfly in Iguazu Nation
Caiman, Yacare Caiman, crocodiles in river surface, evening
Cerradobrasileiro
Arara Canindé colorida azul Amarelo
Aerial view of Amazon rainforest, near the city of Manaus, Amazo
Paisagem típica do cerrado brasileiro.
Flooded amazonian rainforest in Negro River at sunset time, Amazonas, Brazil.
previous arrow
next arrow

O PlanaFlor é um plano nacional de desenvolvimento sustentável que promove os ativos ambientais, econômicos e sociais a partir da efetiva implementação da Lei de proteção da vegetação nativa, no 12.651/12, conhecido como Código Florestal.

Esta lei tem o potencial de fomentar a produção rural integrada à proteção e recuperação da cobertura vegetal, gerando trabalho, renda e impactos positivos no clima.

  • O Brasil é uma potência global do setor agropecuário e para a conservação da biodiversidade. O novo Código Florestal é um marco legal poderoso para fomentar a produção agropecuária livres de desmatamento, mitigando os impactos das mudanças climáticas e os riscos para o agronegócio.
  • O desenvolvimento sustentável deve ser focado em soluções e sistemas integrados, inclusivos e de larga escala.
  • Uma integração da produção econômica (agrícola, pecuária e florestal) é fundamental para proteger a vegetação nativa, revitalizar a economia rural e criar empregos.
  • Para esse novo cenário, é necessária a mobilização de grandes quantidades de recursos, incluindo financeiros (estimados em mais de R$ 200 bilhões de investimentos), humanos (empregos rurais, serviços, capacitação), de infraestruturas (viveiros, materiais de plantio, estradas, silos) e tecnológicos (sensoriamento remoto, mapeamento, soluções inovadoras).
  • Os instrumentos econômicos devem estimular cadeias produtivas livres de desmatamento e negócios de impactos socioambientais que favoreçam ao mesmo tempo a conservação do meio ambiente e o bem-estar das pessoas.